Últimas Notícias

Órgãos da Federação tomaram posse esta semana na Azambuja

14.04.2018

Tomada de posse dos órgãos do PS FAUL na Azambuja
Tomada de posse dos órgãos do PS FAUL na Azambuja (Fotografia: Jorge Ferreira/PS FAUL)

Decorreu na passada quarta-feira, na Azambuja, a tomada de posse da nova Comissão Política da Federação do Partido Socialista da Área Urbana de Lisboa, bem como da Comissão Federativa de Jurisdição e da Comissão Federativa de Fiscalização Económica e Financeira, eleitas em março no XVIII Congresso do PS FAUL, realizado em Sintra.

Em votação secreta, os membros da nova Comissão Política da Federação elegeram Marcos Perestrello, anterior presidente do PS FAUL, para Presidente da Mesa, e André Rijo, presidente da Câmara Municipal da Arruda dos Vinhos, e Ana Ivo, para Secretários da Mesa.

Foram também submetidos à votação, pelo Presidente do PS FAUL, Duarte Cordeiro, os novos membros da equipa executiva da Federação. Assim, integram o Secretariado da Federação, Alexandra Tavares Moura, André Caldas, Dalila Araújo, Diogo Leão, Fernando Paulo, Hugo Xambre Pereira, Joaquim Raposo, João Cunha, Manuel Lage, Paulo Marques, Pedro Pinto de Jesus, Ricardo Lima, Rita Leão, Rita Madeira, Susana Santos, Ana Paula Santiago, Ana Venâncio, João Ruivo, Jorge Silva, Nuno Gaudêncio, bem como, por inerência de funções, Maria Begonha, presidente da JS FAUL e Susana Amador, Presidente do DFMS da FAUL.

Integram ainda a equipa executiva, Tiago Gonçalves, diretor de comunicação, e o diretor geral da FAUL, Moisés Gil. Já o Gabinete de Estudos da Federação será coordenado por Marcos Sá.

O presidente da Concelhia do Partido Socialista de Azambuja, Silvino Lúcio, aproveitou a sessão de abertura para felicitar o presidente do PS FAUL, Duarte Cordeiro, pela realização desta primeira reunião da Comissão Política da Federação no concelho, uma promessa de candidatura que foi cumprida pelo agora presidente dos socialistas da Área Urbana de Lisboa.

Duarte Cordeiro, por sua vez, sublinhou junto dos presentes a importância da descentralização da atividade política da Federação, congratulando-se com a realização desta primeira Comissão Política na Azambuja. O presidente do PS FAUL felicitou e elogiou ainda a capacidade dos eleitos empossados e do novo Secretariado, relembrando que este será um mandato de dois anos com “muito trabalho pela frente”, com o objetivo de dar ao Partido Socialista uma “grande vitória” nas eleições europeias e legislativas do próximo ano.

Esta é hora de “mobilizar todos” em torno do projeto do Partido Socialista e “fazer da FAUL a Federação mais forte do país”, disse Duarte Cordeiro, que quer ver o PS FAUL a liderar os debates do presente e do futuro da Área Urbana de Lisboa e do país.

Duarte Cordeiro sublinhou a importância das secções de residência durante evento comemorativo do aniversário da secção da Bobadela

25.03.2018

Presente na primeira iniciativa como presidente da FAUL

Aniversário da Secção do PS da Bobadela
Aniversário da Secção do PS da Bobadela

O novo Presidente da Federação da Área Urbana de Lisboa do Partido Socialista, Duarte Cordeiro, marcou presença no jantar comemorativo do aniversário da secção do PS da Bobadela, no concelho de Loures.

Duarte Cordeiro aludiu ao importante papel desempenhado pelas secções de residência enquanto estruturas de proximidade aos cidadãos e aos seus anseios e preocupações.

Na primeira iniciativa em que participou enquanto Presidente da Federação, intervieram, ainda, o Presidente da Concelhia do PS de Loures, Ricardo Leão, o Secretário-Coordenador da Secção da Bobadela e Presidente da União de Freguesias de Santa Iria da Azóia, São João da Talha e Bobadela, Nuno Leitão, e o Presidente da Mesa da Assembleia Geral de Militantes da Secção, Nuno Ricardo Dias.

O Presidente da Concelhia do PS Loures, Ricardo Leão, deixou "um cumprimento muito especial" a Duarte Cordeiro que marcou presença na iniciativa logo no dia seguinte ao do Congresso do PS FAUL. O Presidente da Concelhia realçou o gesto como "uma clara demonstração da sua proximidade com as estruturas locais do PS".

Notícias

Deputados do PS alertam na Amadora para "efeitos negativos" da privatização da EGF

Deputados socialistas alertaram hoje para “os efeitos negativos” da privatização da Empresa Geral de Fomento (EGF), nomeadamente no que isso pode significar ao nível da falta de transferências de contrapartidas sociais para os municípios.

Os parlamentares visitaram hoje áreas de reabilitação urbana na Venda Nova, Amadora, concelho onde a autarquia recuperou um espaço industrial para instalar o Parque da BD - Turma da Mônica/Maurício de Sousa com contrapartidas da Valorsul.

Esta empresa responsável pelo tratamento de resíduos de 19 municípios da Área Metropolitana de Lisboa e da zona Oeste é participada pela EGF, "sub-holding" do grupo Águas de Portugal para o setor dos resíduos, que o Governo quer privatizar.

"Houve uma intervenção social da Valorsul, que só foi possível no quadro da estrutura acionista dos municípios", salientou o deputado António Ramos Preto, presidente da comissão parlamentar de Ambiente, Ordenamento do Território e Poder Local, referindo-se aos mais de 670,4 mil euros investidos no novo parque de seis mil metros quadrados.

"O Governo quer transferir as contrapartidas para os municípios, usadas em benefício das populações, como lucros para os privados", acusou Marcos Perestrello, presidente da Federação da Área Urbana de Lisboa do PS.

O parque da Mônica foi construído no espaço da antiga Fábrica da Cultura, onde se realizava o Festival Internacional de Banda Desenhada da Amadora. Os materiais que resultaram do desmantelamento das estruturas foram reciclados e serviram para a construção dos bancos, pavimentos e equipamentos do jardim, povoado com os bonecos concebidos por Maurício de Sousa.

A presidente da Câmara da Amadora, Carla Tavares (PS), explicou que a escolha do espaço para instalar o parque pretendeu "prolongar a ligação da banda desenhada com a cidade" e permitiu criar uma nova área de lazer para a população.

Ramos Preto, que já foi presidente da Assembleia Municipal da Amadora, defendeu a necessidade do Governo auxiliar as autarquias na reabilitação urbana de bairros como a Cova da Moura, na Amadora, ou do Lagarteiro, no Porto, por se tratar "de intervenções pesadas" para os orçamentos municipais.

Carla Tavares, por seu turno, destacou o esforço camarário na requalificação urbana. Numa primeira fase foram demolidos os núcleos degradados das Fontainhas, Portas de Benfica, Bairro Azul e Alto dos Trigueiros.

Segundo o recenseamento do Programa Especial de Realojamento (PER) foram identificadas nestes bairros 895 famílias residentes em 571 construções.

O realojamento, principalmente no Casal da Boba, representou um investimento de 18 milhões de euros.

A par das demolições, a autarquia requalificou o edificado e espaços comerciais numa das principais entradas da cidade, na envolvente da Circular Regional Interior de Lisboa (CRIL).

A "Porta da Amadora" assumiu-se como marco de entrada num novo espaço urbano qualificado, uniformizando a imagem dos estabelecimentos e da sinalética.

Na reabilitação do acesso pedonal às zonas comerciais, reforço da iluminação e soluções da nova identidade urbana foram investidos cerca de 225 mil euros.

A intervenção, de acordo com Carla Tavares, vai prosseguir com a requalificação de zonas envolventes da Rua Elias Garcia.

Está em... Entrada Notícias Deputados do PS alertam na Amadora para "efeitos negativos" da privatização da EGF